Translate

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Resposta, é uma coisa que só o tempo entrega. A Mentira também.

" Em toda a ausência, sentia-me coberto e desacordado. Sonhei-te e fui ao teu encontro dizer-lhe, em sonho, o quanto te amo também. Isso é novo porque está polido. Te guardo, te sinto, te amo."




chapter 2
:
ela: Se puder, veja a lua hoje, que daqui estará linda. beijo.

ele:(sobre a lua)...inteira e tua, também a vejo linda do meu aqui. Te sinto mesmo vendo a lua. são duas ausências presentes. Gostaria de tocá-las além do que vejo. Em breve, você me trará a lua mais perto. beijos.

ela: Meia-lua inteira. Meio cheia, meio nua. Meio seio, ausente e crua. Meia ceia, ardente e sua.

ele: Haja luz, luares, porque você existe no desejo ardente de querer.




Mentira
(Rebeca Matta)

É mentira tudo que se diz
É mentira tudo que se dá
Mentira é o que a gente faz
Mentira é o que há

Mentira, a mentira
Á mentira, que verdade
Mentira é o que cresce
Pelos cantos da cidade

Tudo é mentira
Nesse mundo
Tudo é mentira
Na verdade
Tudo é mentira
É o que digo
Tudo é mentira
Por que será?
Por que será?

Há mentira no amor
Quanta mentira no sabor
A mentira, a que manda
A mentira é quem comanda
A mentira é como a tristeza
Quando começa, nunca se vai

A mentira não se esquece
A mentira não se apaga
A mentira é como a tristeza
Quando começa, nunca se vai

Mentira, a mentira
A mentira, que verdade
Mentira é o que cresce
Pelos cantos da cidade

Tudo é mentira
Nesse mundo
Tudo é mentira
Na verdade
Tudo é mentira
É o que digo
Tudo é mentira
Por que será?
Por que será?

A(há) mentira nos teus olhos
A(há) mentira em tua boca
A(há) mentira no fundo do teu coração




Mentira
(Manu Chao)

Mentira lo que dice
Mentira lo que da
Mentira lo que hace
Mentira lo que va

La Mentira..

Mentira la mentira
Mentira la verdad
Mentira lo que cuece
Bajo la oscuridad

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira el amor
Mentira el sabor
Mentira la que manda
Mentira comanda

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira la tristeza
Cuando empieza
Mentira no se va
Mentira, Mentira

La Mentira...

Mentira no se borra
Mentira no se olvida
Mentira, la mentira

Mentira cuando llega
Mentira nunca se va

Mentira

Mentira la mentira
Mentira la verdad

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?


a história não mudou...

How can you tell me such lies and run all over me?
Your smile is like a freeway, a free way of seduction
Enchanted words, with no emotion.
Don't you ever think about the people involved?
Is seduction so faraway from love?
Leaving people in pain is completely insane!
I know you just want to play
So you see me as a toy
But I prefer to believe
You 're not a heartless boy
Cause I also believe that some day, I hope soon
You'll find a new way, and see the beauty of the moon
Clean up the mess in your heart!
In the world of living things, love alive!



Como você pode me dizer tais mentiras, e correr em cima de mim?
Seu sorriso é como uma auto-estrada, uma rodovia dos sedução
Palavras Encantadas, sem emoção.
Você nunca pensa sobre as pessoas envolvidas?
Sedução é tão distante do amor?
Deixando as pessoas em dor é completamente insano!
Eu sei que você só quer brincar
Então você me vê como um brinquedo
Mas eu prefiro acreditar
Você não é um garoto sem coração
Porque eu também acredito que algum dia, espero que em breve
Você vai encontrar uma nova maneira, e ver a beleza da lua
Limpe a bagunça no seu coração
No mundo dos seres vivos, o amor está vivo!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A Música que Invade - o KORA de Zal Idrissa




Zal Idrissa Sissokho

Nascido em Dakar, Senegal, Zal Idrissa Sissokho é descendente de uma longa linha de griots, músicos e contadores de histórias que são os guardiões da tradição oral.

Quando ele ainda era uma criança,aprendeu a tocar a kora (o som lembra o de uma harpa, é um instrumento tradicional africano, de cordas 21), este conhecimento lhe foi passado de geração em geração. Continuou os estudos com o grande mestre de kora Toumany Kouyaté.

Além da kora, Zal Idrissa canta em Mandinka e Wolof. Ele já tocou com muitos artistas Quebec, Incluindo Takadja, os irmãos Diouf, Richard Séguin, Lilison, IKS, Hart Rouge Muna Mingolém e Alpha Yaya Diallo, e temos colaborado com diversas gravações de artistas dúzia Incluindo Monica Freire, Corneille, e de Montreal júbilo Gospel Choir. Em dezembro de 2005 trabalhou com o show do Cirque du Soleil O em Las Vegas. Zal Idrissa Sissokho também excursionou extensivamente em África.






terça-feira, 31 de agosto de 2010

o universo além de mim, ou a partir de mim...

porque tudo isso começou... ( esta abaixo, é a resposta que "escolhi". Mas não o final da pergunta...)



indo um pouco além da quarta dimensão,os cientistas discutem que tipo de vida poderia ser encontrada na décima primeira dimensão. Como falar do mundo dos relâmpagos, a eletricidade, os átomos instáveis e muito mais,neste vídeo a seguir...


um pequeno vídeo sobre os buracos negros e "buracos de minhoca" tirado de um show chamado "o universo". poderia ser melhor elaborado, mas não achei outro parecido com a idéia...


"Wormholes" são conexões de travessia entre dois universos, ou entre duas regiões distantes do mesmo universo. Essa contribuição mostra o que seria uma "visão" através do wormhole que conecta Universidade Tübingen com Boulogne sur Mer, no norte da França.



outra forma de explicar a mesma coisa... este cara tá certo, mas ele corre grande risco de "se achar", digo isso no sentido pejorativo da expressão, e aí é que mora o perigo...o ego corre desgovernado... (este é o vídeo "introdutório" do discurso das dimensões... este cara defende várias; como exemplo, o omniverse).


E o pior de tudo... neste vídeo abaixo, entende-se porque o ser humano ainda não está preparado para isso... (rsrsrs)


... e o barro, sempre nos salva...
Da mostra "do pó vieste, ao pó voltarás."
duas obras: uma de Cézar Veloso (sem título) e o "i lustre", de minha autoria (que compõe a obra "o etérno provisório",2007).
proponho (imagino) este assunto, na cultura de Su.

A Cultura de "SU" (O significado de "SU")
























A Cultura de "SU"

Tendo por referencial as definições antropológicas sobre cultura que considera a origem do ser pensante (Homo Sapiens Sapiens) a partir do surgimento da capacidade humana de simbolização, imaginemos “Su” como símbolo e ideologia de nosso espaço.

Segundo Mokiti Okada, “Su” representa uma circunferência (O) com um ponto (•) bem no centro. A circunferência com um ponto no centro simboliza uma forma vazia na qual se pôs alma. Isso equivale à expressão "colocar espírito" usada pelos pintores antigos durante a confecção de suas obras. Significa colocar conteúdo, intenção, sinceridade, amor e ordem naquilo que se realiza.

Ao mesmo tempo, “Su” adquire o sentido de transformação. Conforme a teoria de Okada dos noventa e nove por cento (99%) e do um por cento (1%), se numa circunferência "entrar um ponto" significar que, por meio de um por cento (1%) é possível modificar-se os outros noventa e nove por cento (99%). Trata-se, assim, da FORÇA; de uma palavra, de um gesto, de um encontro, de uma única flor, o que possibilita a transformação do ser humano.

Além disso, sua representação gráfica simboliza ainda a ordenação existente na natureza e o inter-cruzamento de conhecimentos provenientes das culturas oriental e ocidental.

...e a partícula Divina? Desconfiava mesmo que é tudo "música".

terça-feira, 13 de julho de 2010


2010 – O FIM DE UM MUNDO?

Como você já deve ter percebido, 2010 começou forte. Parece que a Natureza “ligou o turbo”. No consultório, voltei de um mês de férias e encontrei a maioria das pessoas vivendo uma aceleração radical em seus processos existenciais. Em português simples e claro: “o bicho tá pegando”.

E a Astrologia, esta velha senhora, o que tem a nos dizer nesse momento? Ela pode nos auxiliar de alguma forma a compreendermos e nos posicionarmos melhor em relação ao que está acontecendo, e ao que há de vir?

Do alto de seus 5.000 anos de idade, dona Astrô não se abala muito com pouca coisa. Já viu impérios outrora indestrutíveis virarem ruínas...
Já viu civilizações que antes ditavam as regras, virarem pontos turísticos... Viu demônios virarem santos, santos virarem demônios, metalúrgicos virarem presidentes, astros do rock virarem astrólogos, políticos outrora muito populares virarem Judas... Enfim... Ela já viu de tudo... E sabe que “a vida vem em ondas como o mar”... Vem e vai... Vai e vem...

Dona Astrô pode nos auxiliar muito num momento desses, em que a corda está esticando. Pode nos lembrar de que isto é um ciclo, e que os ciclos têm a sua natureza, necessidade e duração.

E que ciclo é esse?

Teremos em 2010, mais precisamente no final de Julho de 2010, um alinhamento que (felizmente) não acontece todo momento.

Urano, planeta regente do signo de Aquário, um dos três “deuses da mudança”, geralmente associado à processos de quebras e rupturas radicais em modelos vigentes, completa uma volta e chega ao primeiro grau de Áries, que é também o primeiro grau de todo o Zodíaco. Só isto, já é um acontecimento astrológico significativo, que marca um momento de renovação.

Junto á Urano, vem Júpiter, considerado pelos antigos, como o grande “benéfico” do Zodíaco, também está associado á avanços em paradigmas ideológicos.

No início de 1762, os dois astros estavam alinhados no primeiro decanato do signo de Áries. Este ano é marcado pelo inicio da guerra entre Espanha, maior potência naval da época, e a Inglaterra, que passaria a ser a nova potência maior. O grande império ibérico caminhava para o fim, e o nascente império anglo-saxão começava a despontar.

Em 1845, Urano e Júpiter encontraram-se mais uma vez nos primeiros graus de Áries. Naquele ano, o parlamento britânico promulgou a “Lei Aberdeen”, que foi um passo decisivo para a futura libertação dos escravos, evento que também, sem dúvida nenhuma, foi paradigmático para os padrões da época, e iniciou um novo ciclo para a humanidade, visto que teve um impacto profundo nas relações sociais e econômicas dali para frente.

Em Julho de 1927, novamente Urano e Júpiter chegavam aos primeiros graus de Áries. Aquele foi um ano marcado pela primeira travessia sem escalas do Atlântico, realizada por Charles Lindbergh em seu “Spirit of Saint Louis”. Evento que sem dúvida deixou o mundo muito “menor” do que era até então. Aquele ano também foi marcado por acontecimentos políticos radicais que tiveram importância capital nos desdobramentos futuros. Em Agosto, uma revolta do exército chinês dá origem ao que viria ser o “Exército Vermelho”, que teve papel fundamental na revolução que transformou a face e a história daquele antigo país, e está na base do peso que ele tem hoje no planeta. Naquele mesmo ano, Benito Mussolini promulga a “carta do trabalho”, que transforma a Itália em estado corporativo, e abre as portas para o Fascismo, e Josef Stálin, após expulsar León Trotsky, torna-se líder absoluto do PC e da URSS. Novamente, um mundo estava terminando, e outro estava começando.

Como podemos ver, este alinhamento marca o início de uma mudança radical. As pessoas estão fazendo barulho á respeito de 2012, mas na verdade, o mundo acaba mesmo, é em 2010. Pelo menos o mundo tal qual o conhecemos até aqui.

O céu de 2012 não apresenta nenhum aspecto astrológico radical. Nenhum que chegue próximo ao que teremos esse ano.

Se não bastasse o encontro de Júpiter e Urano em Áries, que como vimos, marca novos momentos politico-ideológicos, temos ainda a posição de Saturno, senhor do tempo e das colheitas nos primeiros graus de Libra, fazendo uma “oposição” exata á conjunção Júpiter-Urano. E Saturno não está só. Com ele vem Marte, como todos sabem, o senhor da guerra. Se isso tudo não bastasse, Plutão, outro “deus da mudança”, implacável e compulsivo, faz uma “quadratura” á esse povo todo, nos primeiros graus de Capricórnio, outros signo “Cardinal”.

O céu está pesado. De todas as conjunções anteriores que eu citei, essa é, sem dúvida, a mais tensa e a mais radical. O velho e o novo estão cara-a-cara para um confronto que já se anuncia há uns três anos. E agora não tem mais como “empurrar com a barriga”, “não tem mais pra onde correr”.

O que está vindo pela frente?

Quem tiver olhos, verá... Um velho mundo morrendo, e um outro, novo,nascendo...

Todos já estamos sentindo a onda gigante de renovação que está chegando...

As mudanças acontecem em todos os níveis: no planeta, em nosso país, aqui no DF e também, como não poderia deixar de ser, em nossos lares, consciências e em nossas vidas. Todos gostam de mudanças planetárias, mas quase ninguém gosta quando elas começam a acontecer em nossas vidas, de verdade.

Quase todos nós, conscientes disto ou não, admitamos isto ou não, somos apegados aos modelos e estilos de nossas vidas, por mais deficientes e causadores de sofrimento que eles sejam. Faz parte de nossa natureza.Somos todos, mais ou menos conservadores. Basta ver quando algo realmente novo chega a Terra, a reação contrária que causa, e a pouca adesão que conquista, num primeiro momento.

O Cristianismo hoje é uma potência política e econômica, influindo em governos, movimentando bilhões e capitaneando guerras. Mas no começo,
se limitava a doze pessoas, e durante quinhentos anos, ser simpático a esta idéia era motivo bastante para mandar alguém ser almoço dos leões.

Só que tem momentos, que é mudar ou mudar. E esse é um desses momentos.

Todo esse transtorno e esse “rebuliço” em nossas vidas são as mudanças chegando e batendo na porta dos nossos velhos estilos de vida, que se defendem como podem. Com unhas e dentes, como Saturno e Marte sinalizam.

Será que estamos dispostos a mudar? Será que sabemos o que precisamos mudar? Ou será que ainda estamos pensando que os problemas em nossas vidas são causados pelo ex, pela ex, pelos filhos, a sogra, pelo Lula, pelo Arruda, por nossos inimigos, Deus, o diabo, etc.?

A Tsunami da transformação planetária está batendo na praia. Ou pegamos essa onda e vamos com força para a frente, ou ela nos pega e quebra a espinha dorsal de nossas resistências. A hora de mudar é agora. Se a sua vida já está de pernas para o ar e você não está dando conta sozinho, procure ajuda. Um médico, padre, psicólogo, terapêuta, astrólogo, um amigo de verdade... Enfim, alguém que possa te ajudar a se enxergar, que nós não viemos equipados de fábrica com espelho retrovisor. Somos todos muito hábeis para enxergar cisco no olho do irmão, e cegos para ver a trave em nosso próprio olho...

Boa sorte
amigos, e coragem... Toda força à frente que o novo nos espera... E sua urgência ruge....

[]s C.Maltz.

www.carlosmaltz.com.br

TPM celeste... céu em 07/08/10 - Será?


2010 – O FIM DE UM MUNDO?

Como você já deve ter percebido, 2010 começou forte. Parece que a Natureza “ligou o turbo”. No consultório, voltei de um mês de férias e encontrei a maioria das pessoas vivendo uma aceleração radical em seus processos existenciais. Em português simples e claro: “o bicho tá pegando”.

E a Astrologia, esta velha senhora, o que tem a nos dizer nesse momento? Ela pode nos auxiliar de alguma forma a compreendermos e nos posicionarmos melhor em relação ao que está acontecendo, e ao que há de vir?

Do alto de seus 5.000 anos de idade, dona Astrô não se abala muito com pouca coisa. Já viu impérios outrora indestrutíveis virarem ruínas...
Já viu civilizações que antes ditavam as regras, virarem pontos turísticos... Viu demônios virarem santos, santos virarem demônios, metalúrgicos virarem presidentes, astros do rock virarem astrólogos, políticos outrora muito populares virarem Judas... Enfim... Ela já viu de tudo... E sabe que “a vida vem em ondas como o mar”... Vem e vai... Vai e vem...

Dona Astrô pode nos auxiliar muito num momento desses, em que a corda está esticando. Pode nos lembrar de que isto é um ciclo, e que os ciclos têm a sua natureza, necessidade e duração.

E que ciclo é esse?

Teremos em 2010, mais precisamente no final de Julho de 2010, um alinhamento que (felizmente) não acontece todo momento.

Urano, planeta regente do signo de Aquário, um dos três “deuses da mudança”, geralmente associado à processos de quebras e rupturas radicais em modelos vigentes, completa uma volta e chega ao primeiro grau de Áries, que é também o primeiro grau de todo o Zodíaco. Só isto, já é um acontecimento astrológico significativo, que marca um momento de renovação.

Junto á Urano, vem Júpiter, considerado pelos antigos, como o grande “benéfico” do Zodíaco, também está associado á avanços em paradigmas ideológicos.

No início de 1762, os dois astros estavam alinhados no primeiro decanato do signo de Áries. Este ano é marcado pelo inicio da guerra entre Espanha, maior potência naval da época, e a Inglaterra, que passaria a ser a nova potência maior. O grande império ibérico caminhava para o fim, e o nascente império anglo-saxão começava a despontar.

Em 1845, Urano e Júpiter encontraram-se mais uma vez nos primeiros graus de Áries. Naquele ano, o parlamento britânico promulgou a “Lei Aberdeen”, que foi um passo decisivo para a futura libertação dos escravos, evento que também, sem dúvida nenhuma, foi paradigmático para os padrões da época, e iniciou um novo ciclo para a humanidade, visto que teve um impacto profundo nas relações sociais e econômicas dali para frente.

Em Julho de 1927, novamente Urano e Júpiter chegavam aos primeiros graus de Áries. Aquele foi um ano marcado pela primeira travessia sem escalas do Atlântico, realizada por Charles Lindbergh em seu “Spirit of Saint Louis”. Evento que sem dúvida deixou o mundo muito “menor” do que era até então. Aquele ano também foi marcado por acontecimentos políticos radicais que tiveram importância capital nos desdobramentos futuros. Em Agosto, uma revolta do exército chinês dá origem ao que viria ser o “Exército Vermelho”, que teve papel fundamental na revolução que transformou a face e a história daquele antigo país, e está na base do peso que ele tem hoje no planeta. Naquele mesmo ano, Benito Mussolini promulga a “carta do trabalho”, que transforma a Itália em estado corporativo, e abre as portas para o Fascismo, e Josef Stálin, após expulsar León Trotsky, torna-se líder absoluto do PC e da URSS. Novamente, um mundo estava terminando, e outro estava começando.

Como podemos ver, este alinhamento marca o início de uma mudança radical. As pessoas estão fazendo barulho á respeito de 2012, mas na verdade, o mundo acaba mesmo, é em 2010. Pelo menos o mundo tal qual o conhecemos até aqui.

O céu de 2012 não apresenta nenhum aspecto astrológico radical. Nenhum que chegue próximo ao que teremos esse ano.

Se não bastasse o encontro de Júpiter e Urano em Áries, que como vimos, marca novos momentos politico-ideológicos, temos ainda a posição de Saturno, senhor do tempo e das colheitas nos primeiros graus de Libra, fazendo uma “oposição” exata á conjunção Júpiter-Urano. E Saturno não está só. Com ele vem Marte, como todos sabem, o senhor da guerra. Se isso tudo não bastasse, Plutão, outro “deus da mudança”, implacável e compulsivo, faz uma “quadratura” á esse povo todo, nos primeiros graus de Capricórnio, outros signo “Cardinal”.

O céu está pesado. De todas as conjunções anteriores que eu citei, essa é, sem dúvida, a mais tensa e a mais radical. O velho e o novo estão cara-a-cara para um confronto que já se anuncia há uns três anos. E agora não tem mais como “empurrar com a barriga”, “não tem mais pra onde correr”.

O que está vindo pela frente?

Quem tiver olhos, verá... Um velho mundo morrendo, e um outro, novo,nascendo...

Todos já estamos sentindo a onda gigante de renovação que está chegando...

As mudanças acontecem em todos os níveis: no planeta, em nosso país, aqui no DF e também, como não poderia deixar de ser, em nossos lares, consciências e em nossas vidas. Todos gostam de mudanças planetárias, mas quase ninguém gosta quando elas começam a acontecer em nossas vidas, de verdade.

Quase todos nós, conscientes disto ou não, admitamos isto ou não, somos apegados aos modelos e estilos de nossas vidas, por mais deficientes e causadores de sofrimento que eles sejam. Faz parte de nossa natureza.Somos todos, mais ou menos conservadores. Basta ver quando algo realmente novo chega a Terra, a reação contrária que causa, e a pouca adesão que conquista, num primeiro momento.

O Cristianismo hoje é uma potência política e econômica, influindo em governos, movimentando bilhões e capitaneando guerras. Mas no começo,
se limitava a doze pessoas, e durante quinhentos anos, ser simpático a esta idéia era motivo bastante para mandar alguém ser almoço dos leões.

Só que tem momentos, que é mudar ou mudar. E esse é um desses momentos.

Todo esse transtorno e esse “rebuliço” em nossas vidas são as mudanças chegando e batendo na porta dos nossos velhos estilos de vida, que se defendem como podem. Com unhas e dentes, como Saturno e Marte sinalizam.

Será que estamos dispostos a mudar? Será que sabemos o que precisamos mudar? Ou será que ainda estamos pensando que os problemas em nossas vidas são causados pelo ex, pela ex, pelos filhos, a sogra, pelo Lula, pelo Arruda, por nossos inimigos, Deus, o diabo, etc.?

A Tsunami da transformação planetária está batendo na praia. Ou pegamos essa onda e vamos com força para a frente, ou ela nos pega e quebra a espinha dorsal de nossas resistências. A hora de mudar é agora. Se a sua vida já está de pernas para o ar e você não está dando conta sozinho, procure ajuda. Um médico, padre, psicólogo, terapêuta, astrólogo, um amigo de verdade... Enfim, alguém que possa te ajudar a se enxergar, que nós não viemos equipados de fábrica com espelho retrovisor. Somos todos muito hábeis para enxergar cisco no olho do irmão, e cegos para ver a trave em nosso próprio olho...

Boa sorte
amigos, e coragem... Toda força à frente que o novo nos espera... E sua urgência ruge....

[]s C.Maltz.

www.carlosmaltz.com.br

quinta-feira, 8 de julho de 2010

há "Já Visto"



Déjà vu.
É o conhecimento inconsciente, prévio ou a impressão de já ter visto ou encontrado uma pessoa, já ter visitado determinado lugar ou vivido determinada situação, os quais, de fato a pessoa jamais vira, estivera antes ou vivera fisicamente. A expressão francesa mais utilizada para este fenômeno é o déjà-vú. Um tipo específico é o dejaísmo projetivo, no qual a pessoa visita um local projetada para fora do corpo e eventualmente vai até este local depois que desperta fisicamente, tendo então a nítida sensação de já ter estado lá.
( http://www.iipc.org.br/ciencias/fenomenos.php )

Déjà vu é uma reação psicológica fazendo com que sejam transmitidas idéias de que já esteve naquele lugar antes, já se viu aquelas pessoas, ou outro elemento externo. O termo é uma expressão da língua francesa que significa, literalmente, já visto
( http://pt.wikipedia.org/wiki/Déjà_vu )

"Se beijar é proibido
Ou se é dejá-vu beijar" (Chico César, in Aquidauana)



Diversas teorias errôneas, como inatenção, vidas passadas ou visões sobrenaturais, surgiram para explicar o fenômeno. Já a hipótese de que verdadeiramente já seu viveu aquela cena antes é inválida, uma vez que essas ocorrências nunca poderiam recriar a situação com exatidão, devido à falta de sentimento associada a cada acontecimento na vida das pessoas.

Déjà vu também não é uma visão do futuro, uma vez que o fenômeno ocorre somente em momentos exatos, e jamais em situações anteriores.

Na verdade, a sensação é causada por um estado do cérebro, por fatores neuroquímicos. Os especialistas afirmam que o déjà vu é uma experiência baseada na memória e que os centros de memória do cérebro são os responsáveis pelo fenômeno. Os déjà vus acontecem principalmente nas pessoas de 15 a 25 anos.
( http://www.brasilescola.com/curiosidades/deja-vu.htm )

Há muitas referências ao déjà vu que não são o déjà vu verdadeiro. Os pesquisadores têm suas próprias definições, mas geralmente o déjà vu é descrito como a sensação de se ter visto ou experimentado alguma coisa, que se sabe que não aconteceu. A utilização errada mais comum do termo parece ser com as experiências precognitivas, aquelas experiências onde alguém tem a sensação de que sabe exatamente o vai acontecer em seguida e a situação acontece. Uma distinção importante é que o déjà vu é experimentado durante um evento, não antes dele. As experiências precognitivas (se é que são reais) mostram situações que vão acontecer no futuro, não situações que você já passou. Contudo, uma teoria sobre o déjà vu lida com sonhos precognitivos que nos dão uma "sensação de déjà vu" depois.
( http://pessoas.hsw.uol.com.br/deja-vu.htm )

Hã?! Alguém entendeu alguma coisa?
Às vezes, a Natureza tem pressa...
Ou nos faz lembrar que somos muito devagar.
Pequenos Grandes pianistas:

















domingo, 4 de julho de 2010

A Música que alimenta - ou - a fome que toca.

De todas as fomes que eu já tive oportunidades de experimentar, a de Música talvez seja a que mais dilacera uma pessoa. Fome de música é além do obsceno, é quase uma inversão dos valores que trafegam entre as virtudes e as vicissitudes da vida: É fome que ora invade, ora é invadida. Observando estas pessoas dos vídeos, posso compreender isto um pouco melhor, fora de mim. É além do dinheiro pouco, do moral, do lúdico... É uma questão de existência... deliciem-se!
"A música que invade" virá em série. Como um cacho de bananas.
Morgana

A Música que Invade - Série: músicos "de rua" - violão/guitarra



















A Música que Invade - Série: músicos "de rua" - bateristas







]









Resposta à Ana Beatriz

Acordei com a seguinte indagação da minha filha de nove anos;
Mãe, a gravidade existe na atmosfera apenas? Como é que a Terra "não cai"
no universo? Como ela se sustenta?
Enfim pensei: "hoje será um longo dia..."

Bia é o tipo de pessoa que me faz perceber que eu não aprendi "direito" as coisas. Ela sempre me traz questionamentos que eu nunca fiz, ou que eu deixei passar desapercebido, sem buscar as respostas adequadas. Não sei se é o atributo dos filhos na vida dos pais, mas na minha vida, a minha filha funciona como uma espécie de controle de qualidade humana... Em outras palavras ( roubadas de um filme que assisti ): Ela me faz querer ser uma pessoa melhor para o mundo.

Taí Bibi, também estou tentando achar resposta. Mas,dentre tantas coisas, entendo como disse C. Sagan: "Seja como for, estamos pairando no limite da eternidade".
Obrigada
:)




Calendário cósmico

JOSÉ ROBERTO V. COSTA
Astronomia no Zênite ( http://www.zenite.nu/ )

Imagine que toda a história do Universo pudesse ser comprimida em um único ano. Tudo. Desde o Big-Bang, o evento que criou a matéria, o espaço e o tempo, até o último instante, este que você vive enquanto percorre essas palavras.

Foi exatamente isto que o astrônomo Carl Sagan imaginou logo no primeiro capítulo de seu livro "Os dragões do Éden" (1977). Até hoje esta é uma das formas mais didáticas de expressar a cronologia do Universo.
TREZE BILHÕES de anos em doze meses:
é o Calendário Cósmico de Carl Sagan

O ano é a principal unidade de medida de tempo utilizada pelos humanos. Estudamos os feitos históricos de nossa espécie nos referindo a eles. Comemoramos com euforia cada começo de um novo ano, felicitamos as pessoas pelos seus aniversários.

Toda a história registrada, contudo, precisa de unidades maiores, como a década, o século e o milênio. Porém, mesmo os milênios os quais possuímos registros históricos são precedidos por períodos de tempos excepcionalmente maiores, sobre os quais pouco sabemos.

Milhões de anos se passaram na Terra antes da espécie humana aparecer. Bilhões de anos desde o primeiro raio de Sol; desde que a primeira estrela do Universo começou a brilhar. Assim mesmo somos capazes de localizar no tempo alguns acontecimentos desse passado remoto.

A datação radioativa e a análise de camadas estratificadas das rochas permitem obter dados sobre a vida, as alterações geológicas e até mesmo mudanças climáticas do passado. A astrofísica fornece diversas informações confiáveis a respeito dos estágios evolutivos das estrelas, suas idades, a formação da galáxia e, inclusive, uma boa estimativa do tempo transcorrido desde o Big Bang, o evento mais remoto do qual temos algum registro.

Do Big Bang ao último segundo
NO CALENDÁRIO CÓSMICO, O BIG BANG ACONTECE PRECISAMENTE À ZERO HORA do dia primeiro de janeiro, e cada bilhão de anos no Universo corresponde a cerca de 24 dias. Um único segundo representa quase quinhentas voltas em torno do Sol.

Neste calendário estão assinalados os principais eventos atualmente disponíveis da história do cosmos, como a época da formação da nossa galáxia, do Sistema Solar, do surgimento dos primeiros organismos vivos na Terra e o despertar do ser humano.

É claro que existem imperfeições. Pode-se descobrir, por exemplo, que as plantas colonizaram a Terra antes do que os cientistas calcularam (e portanto num dia diferente do nosso calendário).

Além disso, devido à extrema compressão do tempo a que nos submetemos nessa escala, todos os eventos de nossa história escrita ficam comprimidos literalmente nos últimos instantes do dia 31 de dezembro e é quase impossível registrá-los integralmente.

Mas isso não importa. O Calendário Cósmico nos lembra que além de muito pequenos perante o Universo, ocupamos também um instante de tempo insignificante em sua existência. Acima de tudo, que o nosso destino – e o de toda a vida na Terra – dependerá a partir de agora da sensibilidade humana e de nosso valioso conhecimento científico.







... e a Partícula Divina? Eu sabia, é tudo música!

quinta-feira, 1 de julho de 2010


Exemplo Perfeito
(André Diniz)

O brilho da tua pele negra
meu povo não vai esquecer
meu super herói, que super poder !!!!!!
poder que te fez timoneiro, navio negreiro, à África –mãe retornar
teu solo sagrado, o amor cruzou o mar
é chama, o foco na palma das mãos
vem da luz que ele emana
a arte de representar o Mestre Meishu-Sama,
caminho de Deus, carinho de pai
unindo terras,
rei negro que levou pra à África o amor deste meu Brasil
ponte que refez Pangéia, me reconstruiu
carinho de Deus, caminho de paz
Deve ter sido lindo
O encontro no infinito
O Messias sorrindo para o seu fiel discípulo
um exemplo perfeito pra cada um que ama
Meishu-Sama, Meishu Sama
Salve Francisco
Samurai de Angola, guerreiro de Okada,
Pajé do Japão
Chiquinho, jogador de bola
venceu a partida e segue na missão
Um negro de olhos puxados
Puxado às mãos de Deus
Pra tudo que tu me ensinaste jamais vou dizer adeus

quarta-feira, 30 de junho de 2010



Vê Se Me Esquece

já que você não aparece,
venho por meio desta
devolver teu faroeste,
o teu papel de seda,
a tua meia bege,
tome também teu book,
leve teu ultraleve
carteira de saúde,
tua receita de quibe,
de quiabo, de quibebe,
do diabo que te carregue,
te carregue, te carregue
teu truque sujo, teu hálito,
teu flerte, tua prancha de surf,
tua idéia sem verve,
que nada disso me serve
já que você não merece,
devolva minhas preces,
meu canto, meu amor,
meu tempo, por favor,
e minha alegria que,
naquele dia,
só te emprestei por uns dias
e é tudo que lhe pertence.
Ps: já que você foi embora por que não desaparece?

Itamar Assumpção

terça-feira, 29 de junho de 2010

Sobre Deus


" (...)A obra do Messias é a Luz do Oriente aguardada ansiosamente por milhares de anos"
(Meishu-Sama, Jornal Eiko, nº 181 - 05/11/1952)

segunda-feira, 28 de junho de 2010